quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Poema do menino Jesus


Num meio-dia de fim de primavera eu tive um sonho como
uma fotografia: eu vi Jesus Cristo descer à Terra.
Ele veio pela encosta de um monte, mas era outra vez
menino, a correr e a rolar-se pela erva
A arrancar flores para deitar fora, e a rir de modo a
ouvir-se de longe.
Ele tinha fugido do céu. Era nosso demais pra
fingir-se de Segunda pessoa da Trindade.
Um dia que DEUS estava dormindo e o Espírito Santo
andava a voar, Ele foi até a caixa dos milagres e
roubou três.
Com o primeiro Ele fez com que ninguém soubesse que
Ele tinha fugido; com o segundo Ele se criou
eternamente humano e menino; e com o terceiro Ele
criou um Cristo eternamente na cruz e deixou-o pregado
na cruz que há no céu e serve de modelo às outras.
Depois Ele fugiu para o Sol e desceu pelo primeiro
raio que apanhou.
Hoje Ele vive na minha aldeia, comigo. É uma criança
bonita, de riso natural.
Limpa o nariz com o braço direito, chapinha nas poças
d'água, colhe as flores, gosta delas, esquece.
Atira pedras aos burros, colhe as frutas nos pomares,
e foge a chorar e a gritar dos cães.
Só porque sabe que elas não gostam, e toda gente acha
graça, Ele corre atrás das raparigas que levam as
bilhas na cabeça e levanta-lhes a saia.
A mim, Ele me ensinou tudo. Ele me ensinou a olhar
para as coisas. Ele me aponta todas as cores que há
nas flores e me mostra como as pedras são engraçadas
quando a gente as tem na mão e olha devagar para
elas.
Damo-nos tão bem um com o outro na companhia de tudo
que nunca pensamos um no outro. Vivemos juntos os dois
com um acordo íntimo, como a mão direita e a esquerda.
Ao anoitecer nós brincamos as cinco pedrinhas no
degrau da porta de casa. Graves, como convém a um DEUS
e a um poeta. Como se cada pedra fosse todo o Universo
e fosse por isso um perigo muito grande deixá-la cair
no chão.
Depois eu lhe conto histórias das coisas só dos
homens. E Ele sorri, porque tudo é incrível. Ele ri
dos reis e dos que não são reis. E tem pena de ouvir
falar das guerras e dos comércios.
Depois Ele adormece e eu o levo no colo para dentro da
minha casa, deito-o na minha cama, despindo-o
lentamente, como seguindo um ritual todo humano e todo
materno até Ele estar nu.
Ele dorme dentro da minha alma. Às vezes Ele acorda de
noite, brinca com meus sonhos. Vira uns de pena pro ar,
põe uns por cima dos outros, e bate palmas, sozinho,
sorrindo para os meus sonhos.
Quando eu morrer, Filhinho, seja eu a criança, o mais
pequeno, pega-me Tu ao colo, leva-me para dentro a Tua
casa. Deita-me na tua cama. Despe o meu ser, cansado e
humano. Conta-me histórias caso eu acorde para eu
tornar a adormecer, e dá-me sonhos Teus para eu
brincar.


(Fernando Pessoa)

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Aos blogueiros,com carinho!


Eu, Rômulo, dono deste blog sou mais do que do que qualquer outra coisa um leitor.
Comecei a ler porque isso me parecia por num patamar superior com relação às outras pessoas; depois fui lendo porque meu mundo foi ficando pequeno e eu precisava viajar!
Hoje eu leio por um hábito tal qual escovar os dentes! E aqui na blogosfera eu me sinto no paraíso. Embora eu não seja um virtuoso blogueiro, passo horas lendo vocês. Tem muita coisa boa, muita mesmo. Encontrei aqui não apenas “blogueiros”, mas escritores de primeira linha,cronistas,poetas...E na maioria dos casos são pessoas jovens.
Tornei-me fã de cada um de vocês e de seus textos. Aproprio-me até muitas vezes de uma intimidade indevida,mas não se assustem,é coisa de fã mesmo!
Não sei o motivo, mas hoje acordei com essa necessidade de me por de pé render-lhes homenagens! Obrigadíssimo por existirem e por fazerem com suas obras de arte os meus dias mais bonitos, mais suaves...
Obrigado e parabéns aos escritores-crônistas-poetas do “Gole de idéias”,” Cranberry Sauce” ,”enfim! é o que tem pra hoje” ,”O Grande Edgar”,”Abrace sua loucura”,”PAPEL, CANETA, LETRAS”,”Pensamento Fascinante” ,”O equador das coisas”,”clandestina, FELICIDADE”,”SOMESENTIDO”,”um d-EU-s chamado Pedro”, “Relações Amorosas Explícitas”...E a tantos e tantos outros que eu sigo.Alguns desses eu sigo mudo;isso para citar alguns,mas a lista é bem maior,muito maior!
Aos que eu citei e aos que eu não citei: Vocês todos são lindos assim! Pensando, escrevendo... Fazendo-me feliz!
Continuarei a segui-los, mesmo que muitas vezes em silencio, emocionadamente como faz quem Le uma prece

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Objeto não identificado [ 2 ]


Sou casado com Drummond e mantenho um caso com Clarisse Lispector
E não raras vezes saio a farrear e me deleitar nos braços de Florbela Espanca
E Caio Fernando Abreu. E tudo isso sob o olhar atento e compreensivo do
Meu confidente Oscar Wilde.
Amo e odeio por hábito
Sou alegre por comodismo
E solitário para ter salvação
Danço sem acepção de ritmo
Na dança a entrega deve ser total
Não cabe timidez;
O corpo deve estremecer suar...
Dance sem medo, dance muito, dance ao extremo
Na dança o gozo é produzido na ponta dos pés
E transborda pelos poros de todo o seu corpo.
E por falar em gozo... Estar sexuado é o que importa
O gênero é apenas um acidente...
Às vezes fico assexuado. É importante para não virar escravo do sexo, porque o bom mesmo
É ser parceiro; e tomem nota: estar assexuado é apenas uma leve e rápida antipatia
Ao corpo alheio, nunca ao meu.
Me toco,me descubro e redescubro,re(verso)...
Cultivo amizades por ego e determino logo:
“Ok.pode ficar à-vontade na sala, deite e role, mas nos outros cômodos só quem me pode saber sou!”
No lugar de deuses eu cultuo poetas. É uma devoção grave e honesta.
É a forma mais eficaz em que ser humano dói menos.
E para seguir meu caminho eu peço a benção de vocês meus sacerdotes, meus padrinhos, meus santos loucos: ”Benção, meus escritores!”

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Feito de palavras


E hoje no morrer das tardes ensolaradas ou nubladas me coroe uma saudade cá dentro do peito, uma saudade do tom de sua voz, do movimento de seus lábios,do brilho de seus olhos penetrantes...Hoje cá dentro do peito,reina uma saudade do frisson que causava quando ouvia as histórias que me contava;repletas de anti-heróis,amor e morte onde tudo é possivel,tudo é permitido,com cores berrantes,gritos fortes e sussuros mais fortes ainda.Dramas do primeiro ao ultimo ato...Nascimento e morte
.”Estemundo é um lugar louco,sim?!” E em resposta ele me sorria,pigarreava,me olhava profundamente nos olhos e proseguia.Ele me moldou e partiu quando finalmente me achou pronto e bonito.
Foi desligando-se aos poucos, com cuidado para não ferir meu coração e cuidou ainda que permanecessem vivas em minha memória aquelas histórias.
Em um dia vulgar ele simplesmente não aparceu mais.
Hoje ele está ligado em outras essências, contando provavelmente as mesmas histórias, mas talvez, em um tom menos grave para não assustar os corações delicados; ou passou a contar histórias de contos de fadas... Sempre foi um rapaz inventivo, um belo rapaz inventivo!
Às vezes eu o encontro em alguma praça da cidade, sempre rodeado de amizades e eu o contemplo disfarçadamente do meio da multidão. Outras vezes ele me percebe, sorri naturalmente, vem ao meu encontro e abraça o meu corpo com um vigor todo humano e masculino como faz um pai.
E cumprimos este ritual repleto de simbolismos, de uma forma absolutamente digna, como convém a dois seres que se amaram... Como um profeta e seu discípulo.

domingo, 15 de novembro de 2009

15 de Novembro


Composição: Medeiros / Albuquerque

Seja um pálio de luz desdobrado.
Sob a larga amplidão destes céus
Este canto rebel que o passado
Vem remir dos mais torpes labéus!
Seja um hino de glória que fale
De esperança, de um novo porvir!
Com visões de triunfos embale
Quem por ele lutando surgir!
Liberdade! Liberdade!
Abre as asas sobre nós!
Das lutas na tempestade
Dá que ouçamos tua voz!

Nós nem cremos que escravos outrora
Tenha havido em tão nobre País...
Hoje o rubro lampejo da aurora
Acha irmãos, não tiranos hostis.
Somos todos iguais! Ao futuro
Saberemos, unidos, levar
Nosso augusto estandarte que, puro,
Brilha, ovante, da Pátria no altar!

Liberdade! Liberdade!
Se é mister que de peitos valentes
Haja sangue em nosso pendão,
Sangue vivo do herói Tiradentes
Batizou este audaz pavilhão!
Mensageiros de paz, paz queremos,
É de amor nossa força e poder
Mas da guerra nos transes supremos
Heis de ver-nos lutar e vencer!
Liberdade! Liberdade!

Do Ipiranga é preciso que o brado
Seja um grito soberbo de fé!
O Brasil já surgiu libertado,
Sobre as púrpuras régias de pé.
Eia, pois, brasileiros avante!
Verdes louros colhamos louçãos!
Seja o nosso País triunfante,
Livre terra de livres irmãos!

Liberdade! Liberdade!

domingo, 8 de novembro de 2009

Fernanda Young,Nua!


“Fernanda Young,nua!”.Desde o dia em que li essas palavras meu espírito não se acalma por dois motivos:excitação e decepção(não necessariamente nessa ordem).
A excitação é por motivos óbvios,Fernanda Young é uma mulher belíssima,com tudo no lugar...Gostosa mesmo!Mas isso numa visão impiedosamente masculina;quando me desce o pseudo-escritor a história muda de figura.Pode ser puro preconceito,mas Fernanda sempre esteve naquele altar reservado para as “Marias de verdade”,ficando bem distante das mulheres que aceitam o papel de simples fonte de gozo masculino.Young nesse estado acaba matando qualquer argumento contrario a exposição da mulher como num açougue de periferia.
Mas vocês irão me perguntar, o que afinal diferencia Fernanda Young de qualquer mulher fruta? Fora das páginas da “Playboy” tudo:Fernanda é uma intelectual de mão cheia,escritora,redatora,apresentadora;sim,uma mulher realmente livre,mas dentro da revista ela acaba sendo nivelada na mesma categoria da “mulher moranguinho”,por exemplo,que ganha a vida graças sua deliciosa bunda(deliciosa mesmo).Mas irão me indagar:esse nivelamento é ruim?Sim,essas coelhinhas da “Playboy” ao contrario do que se possa pensar não contribuíram em nada para a liberdade sexual da mulher,pelo contrario aprisionou-as como ‘deposito de espermas’.

“Salvar o erotismo das mãos da brigueice; não devo nada a ninguém; em alguns lugares do mundo, mulheres ainda são obrigadas a tapar seus corpos; vingança pura e simples; nos meus livros, eu me exponho mil vezes mais; vou fazer 40 anos, ano que vem; irritar a minha mãe; estou me lixando para o que os idiotas vão achar; é a primeira vez na história que a coelhinha da Playboy tem oito romances publicados e não existem ex-BBBs suficientes (aleluia!)”, escreveu Fernanda.
Lógico que o trabalho será o mais requintado possivel.Fernanda está realmente acreditando que este trabalho será como um de seus livros,será uma obra de arte para ser contemplada de forma limpa e bem dita.Não,Fernanda,não éra para isso que a “Playboy” ou qualquer outra revista do gênero serve.Fico aqui tentando pensar nesse assunto com ótica de Young:Imaginem dois homens/rapazes conversando sobre as fotos:
-Viu a Playboy da escritora,Fernanda Young?
-Sim.aquela com muitos livros publicados,seriadas de tv e que faz umas perguntas muito inteligentes na TV?
Sim,essa mesma.Reparou como são dignas as suas fotos?
-Que bom gosto!Os ângulos são perfeitos e a luz então merecia um premio...
-Belo corpo...
-Sim,belo corpo...
Nunca existirá tal dialogo na realidade,mesmo Fernanda tendo no seu contrato controle total sobre as fotos que serão publicadas,evitando assim qualquer ângulo ginecológico.Alias sem estes ângulos ginecológicos,qual é a graça de se ver uma mulher nua em um dessas revistas?
Por sorte(talvez) o pseudo-escritor que incorporo sobe rapidamente e eis que a excitação vence!
Estou louco para ver Fernanda Young nua, pelada. Sim quero saber como é sua parte intima...Ficar satisfeito e nada mais.




Perdão,mas este texto ficou machista ou feminista?

sábado, 31 de outubro de 2009

This is it



É incrível como agora todos ficam conjecturando sobre quem era Michael Jackson. Louco, gênio ou um deus? Michael Jackson foi tudo isso e muito mais: criança com responsabilidades de adulto, um adulto com carências de criança, foi ‘multivalente’, foi preto... Foi branco. Impecável e irresistivelmente contraditório como convém aos gênios, loucos e deuses
“Michael Jackson this dead!”.Estas palavras provocaram um silencio comovido em todos os cantos do planeta,todos abismados e trêmulos.Michael vivo ,de certa forma, era uma garantia de que,sim, tudo estava no seu devido lugar ,mas sem este referencial da existência do século xx, o mundo como bem descreveu a revista “Rolling Stone”,tornou-se mais normal e menos interessante...
GÊNIO
A existência desta figura é a prova inequívoca de que algumas pessoas nasceram para ser platéia e outras para fazer o show.Não há como negar que uma criança de 10 anos que canta uma balada romântica como “Who's Loving You”, com tamanha gana e potencia ,tenha nascido para fazer exatamente isso.Embora a família Jackson já tenha dado provas que o talento é coisa presente nos seus genes,não é exagero algum afirmar que o grupo “The Jackson five” não teria tido a mesma repercussão e estrondoso sucesso sem M.J.,o então garotinho negro de black power e já com muito gingado.
M.J. Já chegou a declarar que após certo tempo apenas ele pensava nas coreografias e músicas enquanto seus irmãos continham a vida...
A carreira solo não foi apenas uma simples conseqüência. Ela foi bem planejada e estruturada por Michael juntamente com o não menos genial Quince Jones (considerado por muitos o maior produtor musical de todos os tempos).
O fato é que Michael não era apenas o dono de uma bela voz, era também um virtuosíssimo dançarino e coreografo fazendo o publico ir ao êxtase com suas performances. Musicista de mão cheia tinha um ouvido apuradíssimo para a afinação de qualquer instrumento.
Herdeiro do soul, ele soube como poucos ou nenhum outro, navegar por diversas levadas de estilo:desde a guitarra escandalosa e deliciosa de Slash até os tambores tupiniquins do Olodun.Sejamos sinceros,unir com perfeição tão variados ritmos e estilos,conseguindo assim agradar basicamente a todos,é no mínimo uma jogada de mestre.Pura cultura pop que influenciou desde as ‘boys band’,passando por Beyoncé,Britney,Justin,Lady Gaga,Chris Brown até chagar em Madonna,a rainha absoluta do pop,que quando estourou,Michael já era o que era a muito tempo...
O próprio titulo de “Rei do pop”, segundos relatos da ‘Rolling Stone’, foi sutilmente imposto á CNN e MTV no fim dos anos 80.
LOUCO
Se sua genialidade foi apurada em casa, junto com ela veio também sua loucura.Uma mente brilhante e frágil em conflito com o estilo carrasco e oportunista de um pai formaram um ser humano repleto de complexos de inferioridade e manias que são no mínimo bisaras,isto também é Michael Jackson.
As horas e horas de ensaios perfeccionistas deram a M.J. Todo aquele ar avassalador, mas também lhe roubaram sua infância. Joe Jackson, o patriarca da família, não deu a seus filhos amor e carinho e ainda contribuía com os complexos de Michael quanto a sua aparência.
No fim dos anos 80 o mundo viu a mais incrível- e triste - mutação de um astro: O carismático menino negro foi tornando-se um homem branco. Após sua morte foi confirmada a doença de ‘vitiligo’, mas não tem como deixar de assumir que Michael acelerou de forma proposital todo o processo. As diversas cirurgias plásticas transformaram Michael numa melancólica e bisara caricatura de si mesmo...
Talvez o capitulo mais triste de sua história seja os casos,suspeitos,de pedofilia.
As prisões, as manias, bizarrices, sua deformação...
DEUS
Se é verdade que Michael Jackson se recolheu durante parte da vida num mundo de “encantos e fantasias” é verdade também que ele flertou bem de perto com a realidade do mundo. Foi o artista mais engajado em causas sócias, doando milhões e milhões de dólares aos famintos da África e deste ato nasceu o Hino do mundo “We are de world”.
Der repente o coração do maior artista de todos os tempos para e junto com ele, nós, quase paramos de respirar juntos. Sua morte reviveu todo o seu genial talento como artista que estava a algum tempo bem esquecido até mesmo para seus fervoroso fãs.Foi no mínimo emocionante ver a celebração de sua ARTE em cada esquina de qualquer cidade deste mundo.Michael foi embora deixando um legado controverso e irresistível.Daqui muitos anos,quem sabe até século afio,ele ainda será um mistério.

Há quem diga que ele não morreu, mas apenas se encantou e hoje ele vive a caminhar na lua...

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Um sujeito


Imerso em minha filosofia
Fui me tornando um sujeito amargo
E acostumado a monotonia
E fugindo do sol do meio dia
Eu faço um blues com letra safada
E melodia descente pra qualquer vadia!
E para os corações largados resta apenas minha poesia
Assim escrita por este ser feito de carne,osso,sangue
Coração e uma pele que já não está lá essas coisas
Ainda me lembro do que me diziam: menino largue
Essa viola, deixa de morar em livrarias... Não se apaixone por esta menina!
Mas inocente, puro e besta, não confiei nessa sabedoria
Que o povo me dizia; música, livro e mulher viciam
E por causa deles a gente fica triste quase todo dia...
E todo dia eu dedilho uma melodia, faço uma poesia
E me jogo nos braços de qualquer vadia
Umas doses de conhaque deixam a gente comovido
Com olhos vermelhos, lábios cerrados...
Imersos em pura auto-filosofia

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

sonhando só...


Casinha Branca
(Maria Bethânia)
Composição: Gilson & Joran

Tenho andado tão sozinho ultimamente
Que nem vejo em minha frente
Nada que me dê prazer

Sinto cada vez mais longe a felicidade
Vendo em minha mocidade
Tanto sonho perecer

Eu queria ter na vida simplesmente
Um lugar de mato verde
Pra plantar e pra colher

Ter uma casinha branca de varanda
Um quintal e uma janela
Para ver o sol nascer

Às vezes saio a caminhar pela cidade
À procura de amizade
Vou seguindo a multidão

Mas eu me retraio, olhando em cada rosto
Cada um tem seu mistério
Seu sofrer, sua ilusão

terça-feira, 13 de outubro de 2009

Jogo perigoso


você deve ter que esconder o verdadeiro "você" para ser aceito?


"(...)E quanto mais falo sobre a verdade inteira, um abismo maior nos separa...
Entre eu e você existe a notícia que nos separa ...
Eu quero que você me veja "a mim" , eu me dispo da notícia.
E a minha nudez parada , te denuncia, e te espelha...
Eu me delato, tu me relatas...
Eu nos acuso, e confesso por nós.
Assim, me livro das palavras,
Com as quais você me veste .(Falzi Arap) "

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Objeto não identificado


Não sei escrever crônicas, poesias, redação, ou seja, lá que outro tipo de texto exista!Escrevo emoções que sinto ou fantasio; escrevo porque gosto e preciso imensamente. Escrevo sem regras, sem formas e sem métricas, porque escrevo em regime de urgência!E as palavras do meu limitado vocabulário têm sido minhas melhores amigas e as únicas que tem estado presentes comigo sempre, sempre. Ah, não posso esquecer as canções e a voz, da minha abelha rainha, Maria Bethânia. Quando me vem essa louca necessidade de escrever, tem que ser na hora, porque as emoções me saem como um vomito impossível de segurar e é fácil de se encontrar pelo lugar onde vivo, textos jogados em todos os cantos,tenho escrito até nas paredes;despejo sobre o papel tudo ,e nem sempre faz sentido o que eu escrevo e nem sempre é bonito e quase nunca as pessoas entendem.Alias não tenho escrito muito para os outros,tenho escrito muito sobre mim e para mim...E tenho me sentido sufocado por mim mesmo!A solidão é uma espécie de céu onde se pena. Não é que eu esteja me sentindo solitário, eu realmente estou solitário e não necessariamente infeliz, mas triste constantemente.Mas apesar disso eu gosto de estar na rua,de ver a vida,alheia,acontecer e sigo mudo e esquivo como um objeto não indetificado. Deprimente,certo?
Minha solidão e minha tristeza são honestas, não são como as desse tipo de gente que acredita existir uma espécie de status nisso tudo e também escreve sobre “anjos caídos’,’anjos da noite’,lágrimas de sangue’ e toda a baboseira que essa gente vestida de preto sabe escrever,mas pior do a tristeza desonesta é alegria desonesta,mas sobre isso não estou com vontade de escrever,não agora.
Dia desses eu reli um texto meu que achei jogado sob o sofá,minha nossa! Quanto peso eu despejei sobre o papel; eu falava das saudades que tenho dos meus amigos, todos agora que não vejo mais e não sei se existe o que chamam de ‘clima’ para que possamos nos reencontrar. A medida que fui me tornando uma pessoa ainda mais profunda,com muito lirismo e pedantismo,fui também perdendo pessoas.Não sei explicar bem como tudo aconteceu,mas a verdade é que estou a semanas sem ouvir meu telefone tocar,minha campainha soar e ouvir meu nome.Não sei explicar como tudo aconteceu,mas briguei sutilmente com quase todos e os que não briguei também não fiz muita questão de manter contato e hoje não faz mais sentido: “Olá,sou eu,aquele seu amigo que te virou cara,lembra?Pois bem,agora eu quero conversar com você!”.Não pensem que estou me lamentando,não estou e devo dizer que nunca soube conviver bem com as pessoas e com as emoções e com fazer caras e bocas.Nunca tolerei e nunca fui muito tolerado,mas agradeço eternamente por elas comprarem minhas obras,o que me permite viver como um ermitão!
Tenho deixado muitos textos inacabados, não tenho suportado o que tenho escrito, porque vêm sempre os mesmo temas; só sei falar de amores que não deram certo( os meus amores ), paixão, solidão, morte... Cansei!Quero escrever sobre o dia amanhecendo, sobre as crianças que vejo brincar na rua, sobre os casais de namorados sempre impertinentes... Quero escrever alegrias, felicidades, mas quero fazê-lo, porque caso não faço vou enlouquecer na totalidade.

Acho que vou escrever piadas...

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Arrisque e vá!


Assine um contrato de risco
Mas não pense nas conseqüências
Não pense porque não convém
Não faz bem!
Quer manter sua mente jovem pra sempre?
Então corra riscos...
Adule os riscos,ame os riscos!
Corra riscos,baby!
Arrisque-se em ir ali,até lá e mais além
Arrisque-se em amar este e aquele
Ou a ninguém
Mas deitar com o perigo faz bem
Não pense no destino,
Siga o caminho e...
Vitoriosos ou perdedores
O final da vida nos nivela
Assuma a peleja,ela é sua companheira
Arrisque-se em me odiar:”Se os fatos são contra mim,
Pior para os fatos!”
Arrisque-se em me amar
E eu nem pergunto se você sabe voar
Quer manter sua mente jovem pra sempre?
Então corra riscos

domingo, 27 de setembro de 2009

Álibi


Peço-te que me absolva
Absolva-me deste crime, desta paixão...
Por amar profundamente eu fui...
Eu fui errando,machucando,matando...
Consumindo demais, querendo demais
Expondo-me demais e tudo aos berros!
Meu sussurro era grito, mas não um grito qualquer
Era mais forte que o uivo louco de um lobo!
Assim confesso, sobre teu corpo e diante desta assembléia
O crime a genialidade e a loucura desse nosso estranho amor...
Pegos em flagrante... Isento-te, me acuso!
Provoquei primeiro com os olhos, depois com as mãos
Provoquei ainda com a boca, com palavras de sonhos e beijos de língua...
E é por isso, que no coito deste frisson e diante desta platéia boquiaberta, eu grito: Se estes dois seres humanos amam errado e em pecado,eu digo que é minha culpa!Minha máxima culpa
E principalmente a você que é minha vida, meu amor
Meu desejo, meu pecado e minha vitima...
***
Cala-te, cale-te boca meu amor...
Não te amo porque tu queres ou por vontade própria
Amo-te antes por uma força que não sei dar explicações
Se alguém se ofende ou se espanta é por não conhecer o amor
E apenas peca quem nunca amou e quem nunca se deixou amar
Os seus olhos, a tua boca com palavras de sonhos e beijos de língua
E o teu corpo pesando sobre o meu são a redenção de nossas almas!
E um dia seremos compreendidos pelos justos que ainda virão...

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Veja bem,meu bem...


Veja bem,meu bem...Você é uma mulher canalha,sabia?
Me usou,me fez promessas...Me prometeu casa,filhos e tudo mais.Me fez Largar minha vida de 'boy thats over..." por sua causa! Mudei por você e muito mais do que isso eu vivi por você.
Mas dei demais e fiquei sem nada.Bela manhã de domingo e você me manda este e-mail:"Olha estou em outra.Por favor não fique com magoa,mas realmente não sei pensar nos outros antes de mim.Sei que faz tempo que não sentia borboletas no estomago quando estava com você.O amor não acabou,mas sim mudou para outro nível.Estou feliz em outra estação.O corpo dele combina mais com o meu corpo,existe um encaixe perfeito de nós dois.Sem ressentimentos,porque faz mal a pele..."
Ok! Poderia apenas sofrer disfarçadamente e dizer que você tem toda razão acera desse malfado relacionamento...O fato é que eu ainda sinto as tais borboletas mesmo estando longe de você.
Sua cara não queima,não?Então tudo aquilo que vivemos se resume a essas linhas mal escritas provavelmente depois de uma trepada suja e lenta que você teve com o outro sujeito?
Minha pele já está péssima,acredite!Quero meus livros,meus CDs,as jóias também, porque afinal você custou caro,minha cara!.quero também de volta aqueles bilhetes que te deixa sempre debaixo do travesseiro;sim aqueles mesmo com umas coisinhas meigas que apenas são ditas sob o fogo intenso da paixão,quero-os de volta!
Não me conformo,não adianta! E todo aquele papo de homem ideal? Então não passei de um belo rapaz inteligente com genética perfeita para perpetuar a sua prole,mas ai fui preterido por um macho de linhagem mais pura? Foi isso?
E aquelas canções que você fez pra mim? Que destino eu dou para essas rimas pobres,mas que me fizeram tão feliz?
Quero de verdade que essa nova paixão de rasga a alma,fira seus sentimentos,te faça chorar bastante.Que você mude sua vida e depois disso fique assim sem rumo,sem fluxo,nexo...
Toda vez que se olhar ao espelho,quando for contemplar esse seu rosto lindo e sem-vergonha,tenha a certeza de que existe um alguém praguejando contra sua beleza nua e estática!
Suas risadas e seus gemidos de mulher enlouquecendo...Vou ter que viver sem eles!
Vou também ter que aprender a viver sem ouvir promessas e acreditar nelas,viver só por viver!
Se ainda tivesse o respeito de dizer tudo isso aqui olhando nos meus olhos...
Fica uma terrível sensação de coito!
Não acho que esta carta aberta vá te fazer sentir alguma coisa...E isso me deixa com um vazio tortuoso.
Pelo menos eu estou evitando aquela cena clássica se trancar no banheiro e chorar sentado no vazo ( Você sempre ria dessa situação )
Planejamos tudo tão perfeito,tudo tão normal;e não obstante revolucionário! "E agora cadê,cadê você?...Quem te viu e quem te vê!"

Ah,por favor! Quem quero enganar?
Te amo profundamente!Estou aos prantos,você é a mulher que mais amei em todo a minha vida!
Te peço volte pra mim,por favor...

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Tudo está na ponta dos dedos...


O que me atrai é o perverso
O que me joga contra meus defeitos
Me deixa marcas sérias,vergonhosas
Convida-me a sair do céu...
Faz-me gostar de penar no inferno
Me deixando quente...Suada...Rouca
Sendo devassada por este e aquele e também por ela...
Enlouquecendo nos lugares e momentos mais importunos!
Longe de ser dama sou antes uma devassa,herdeira de messalina!
Minha coroação e ser chamada de nomes e adjetivos que só em pensar me fazem
bambear as pernas!
Mas permaneço contida
Imerso em mim mesma
Sufocando meus instintos...
Transando com todo mundo, mas ninguém percebe...
Eu disfarço bem.

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Tempo,espelho


Gosto de me olhar ao espelho (hoje com um olhar menos nítido é verdade; sapiências do tempo)
Gosto das minhas rugas
Gosto de contabilizá-las...
Me transformando sempre.Gosto desse processo...
O tempo e o espelho são meu inferno e minha paz
Meu rosto assim marcado é meu livro de memórias
E nele estão contidos os meus segredos, paixões; prejuízos, juros e lucros reunidos
Com muito esmero ao longo dessa jornada.
É me olhando ao espelho que mato as saudades de meus pais...
Todas as sentimentalidades vividas por mim transformaram meu rosto no que ele é hoje
E o que ele é sou eu.
Cada expressão facial me transformou.
Quando chorei de alegria, quando me desesperei de tristeza,
Quando gargalhei com meus amigos... Quando fiquei apático por achar que não havia mais tempo
Mas ainda havia e ai me surpreendi,enrubesci...
Vivi, vivo... Viverei até quando?
Que marcas mais irão arraigar a minha face?
Ainda existe espaço? Não sei se muito, mas ele existe.
E peço: Tempo, me machuque um pouco mais!Crave suas unhas em mim
Deixe-me mais marcas, rugas, cicatrizes, mais vida!
Minhas paixões, minhas cóleras, estão todas aqui, não as perdi
Gosto de me olhar ao espelho!Todas as doces e terríveis criaturas e situações
Que passaram pela minha vida!
Tempo, espelho... Meu inferno e minha paz!

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Simples...


Sou simples pessoa
Esperando à beira do caminho
Um punhado de dor alheia
Não existe melhor morfina!
Cansado de paz e de guerra!
Sou simples pessoa
Sem ódios ou ambições aparentes
Sigo mudo,impalpável,imperceptível!
Andando mediocremente à beira do caminho
Prefiro ficar aqui a beira do caminho
Da platéia eu vejo o circo pegar fogo
Os palhaços choraram sorrindo
Vejo luta de facas e canhões
Vejo aberrações...
Não me envolvo nessas paixões.
Tenho sei lá que ar de candura
É pura morfina ,é dor alheia

segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Pode chegar freguês,Paraíso na promoção!


Caminhando para um abismo com venda nos olhos
Pactuando com o encaixe perfeito da alma num tal paraíso
Paraíso distante,paraíso distante...
A salvação os corrompe. Vendem suas almas a Deus; e ele quer comprar?
Vocês não passam de escravos de sua própria fé em busca de um paraíso distante...Tão distante...
Tão perfeitos e tão bons, vocês machucam e roubam pela salvação!
Tirem está venda, posso ver seus olhos?
Perfeitos,bons,justos,piedosos...Paraíso insólito!
Capazes de duvidar de cálculos do tipo 2+2=4
Acreditam piamente em toalhas santas!
Nesta busca incessante para encontrar Deus os homens provocam leves desencontros dentro de si e no fim da jornada acabam sem saber quem realmente são!
Do seu arauto Deus deve rir ou chorar disso tudo? Quanto ele custa?
10x sem juros no cartão serve?
MISERICORDIA, SENHOR!

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Desconstruindo a princesa


Então você está todo orgulhosa
Como uma garota londrina
Porque o Elton prometeu
Beber conhaque no seu sapatinho de cristal?
Então ele te deu um presente?
Uma música só sua?
Tem certeza?
Por acaso você é Diana ou Norma Jean?
Sr. Elton John é da realeza
E você não é diva nem princesa...
Você é uma garota suburbana
De ‘All star’ e lápis preto nos olhos
E o Elton nem gosta deste gênero...
E eu...Eu não sou ninguém...
O meu presente é o meu amor
E ele é pra você!

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

A vida como ela é (supostamente)


O brasileiro não está preparado para ser o maior do mundo em coisa nenhuma. Ser o maior do mundo em qualquer coisa, mesmo em cuspe à distância, implica uma grave, pesada e sufocante responsabilidade.

O jovem tem todos os defeitos do adulto e mais um: o da inexperiência.

Só o cinismo redime um casamento. É preciso muito cinismo para que um casal chegue às bodas de ouro.


Só o inimigo não trai nunca.


Nem todas mulheres gostam de apanhar, só as normais



Invejo a burrice, porque é eterna.


Se todos conhecessem a intimidade sexual uns dos outros, ninguém cumprimentaria ninguém.


Muitas vezes é a falta de caráter que decide uma partida. Não se faz literatura, política e futebol com bons sentimentos...



A prostituta só enlouquece excepcionalmente. A mulher honesta, sim, é que, devorada pelos próprios escrúpulos, está sempre no limite, na implacável fronteira.

A mulher ideal deve ser dama na mesa e puta na cama.


O artista tem que ser gênio para alguns e imbecil para outros. Se puder ser imbecil para todos, melhor ainda.


O amor entre marido e mulher é uma grossa bandalheira. É degradante que um homem deseje a mãe dos seus próprios filhos.

(Nelson Rodrigues)

quinta-feira, 18 de junho de 2009

Apenas mais uma de amor...


Impossível não falar de amor Eu vou confessar que fujo deste papo o máximo que posso, mas realmente ele – o amor – está para nós como a poesia está para o poeta.
É sempre a mesma coisa: Aquele coração acelerado que parece não caber dentro de nós!Aquela ansiedade de ver a pessoa amada – mesmo que ela nunca nos note - gastar horas e horas a pensar nela, digo pensar mesmo, como se analisa uma obra de Machado de Assis para um vestibular da USP! Incrível como detalhamos cada poro do rosto dele, o jeito de sorrir... E ficamos ali parados, deveras admirados, apenas fitando.
Meninas apaixonadas são uns verdadeiros ‘docinhos de coco’, todas meiguinhas, todas assanhadas, e como é bom ver as meninas assanhadas! Ah, o jeito pueril que só elas sabem ter... Eis ai uma das boas coisas de ser ter consciência de se estar vivo! Ver as meninas apaixonadas com seus lábios tão beijáveis, sempre recebendo leves mordidinhas de ansiedade à espera dos meninos apaixonados... Falemos sobre eles também, pois que são bem mais incomuns; meninos geralmente estão excitados, é raro vê-los apaixonados, mas quando os estão não tem como disfarçar, não conseguem disfarçar. Largam os amigos – estes são os primeiros- depois larga-se tudo o que não tiver haver com ela que passa meiga,olhando para chão e deixando apenas o rastro do cheiro de seu cabelo...Ah,o amor! Sim eu já fui testemunha de umas cenas assim...
Mulheres apaixonadas realmente são loucas – Deus salve Manoel Carlos – e são capazes de tudo... Ora são assaz senhoras de tudo,dominando,investigando e não obstante são extremamente dependentes e submissas (chega a dar medo).Mas os homens apaixonados não temem o perigo,pelo contrario:se jogam!
Love is a losing game, diz Amy Winehouse.Ah, essa dor que doe sem a sentirmos deveras! Dores do amor!Choramos compulsivamente, nos atiramos na cama que é um lugar quentinho pra se chorar e pegar no sono com esperançar de acordar e tudo estar resolvido!Sofremos todos e não me alongo nessa parte, pois ela me faz babar na gravata e basta se humano para entender-me. Rita Lee, que diz assim: ”Meu coração não bate, apanha!”.
Podemos palestrar sobre a aquela coisa de pele?Não, não estou falando apenas de sexo, estou falando daquela coisa de pele...
Existe coisa mais gostosa que estar agarradinho ao ser amado, sentindo-lhe o calor, sentindo suas formas, beijando a pele, soltando umas palavrinhas doces e recebendo outras tantas?Oras!Melhor que isto só mesmo o...Sexo... Sentir-se dentro da outra pessoa ou senti-la dentro de você... Coisa de Deus!Deveras é uma coisa de Deus!
E brejeiro o amor faz pessoas graves se apaixonarem por frívolas e as frívolas suspirarem pelas graves (uma espécie de felicidade clandestina).
Viva o amor de Romeu e Julieta, Sandra e Luiza, Marcelo e Rafael...
Ah, brejeiro!Esse tal amor!



Um instante que não pára

“Todo sentimento
Precisa de um passado para existir
O amor não
Ele cria como por encanto
Um passado que nos cerca
Ele nos dá a consciência
De havermos vivido anos a fios
Com alguém que a pouco era quase um estranho
Ele supre a falta de lembrança por uma espécie de mágica.” POEMA DE BENJAMIN CONSTANT

segunda-feira, 1 de junho de 2009

A DANÇA


Não te amo como se fosse rosa de sal, topázio
ou flecha de cravos que propagam o fogo:
te amo secretamente, entre a sombra e a alma.
.
Te amo como a planta que não floresce e leva
dentro de si, oculta, a luz daquelas flores,
e graças a teu amor vive escuro em meu corpo
o apertado aroma que ascender da terra.
.
Te amo sem saber como, nem quando, nem onde,
te amo directamente sem problemas nem orgulho:
assim te amo porque não sei amar de outra maneira,
.
Se não assim deste modo em que não sou nem és
tão perto que a tua mão sobre meu peito é minha
tão perto que se fecham teus olhos com meu sonho.

(Pablo Neruda)

Isto é Pablo Neruda meus amooooreees !!


quarta-feira, 20 de maio de 2009

Para sempre


Ok. Estou preparado.
Quando criei este Blog jurei, por tudo o que é sagrado e profano também, que não iria cair no filão de fazer deste espaço uma janela gigantesca e aberta para que todos pudessem ver minha vida. Mas como a vida é mesmo uma caixinha de surpresas, hoje eu me vejo com uma profunda necessidade de expor aqui, neste momento, as minhas feridas.
No dia 16 de abril deste ano, às 08h30minh precisamente, eu vi pela ultima vez a minha mãe com vida. Eu não poderia supor que aquele seria o ultimo minuto que eu sentiria seu corpo ainda quente...
Antes de sair eu dei um beijo nela e falei bem baixinho ao pé de seu ouvindo: ”Te amo, viu?” e ela meio que sem forças deu um sorriso de canto de boca e disse: ”Oh, meu filho! Eu sei...”.
Horas depois me vi diante do “único fato irremediável”. A morte. O ponto final de tudo o que eu havia vivido até aquele momento. O ponto final de todos os dias passados juntos ao lado da pessoa que mais me amou nesse mundo (e será assim pra sempre).
O som da voz dela pronunciando aquelas palavras ainda ecoa como se tivessem sido tidas há minutos atrás.
O quê fazer diante disso senão cair em puro pranto desesperado?E logo eu que sempre guardei meus sentimentos a sete chaves (ela era minha única confidente).Ver sua mãe morte,dentro de um caixão e envolta por aquele horrendo cheiro de flores e madeira e a cena mais grotesca que pode existir.É muito triste.Mas por mais dor que eu estivesse sentindo,por mais que eu não conseguisse parar de chorar um minuto sequer,eu tinha uma certeza absurda:Ali já estava mais a minha mãe.Roseli já mais seria assim.Me entendem?
Neste momento tive a certeza de que somos na verdade essência (chamem de espírito,alma,ou outro nome) .Ali estava um corpo com carne e ossos que horas mais tarde iram começar a virar pó...
A minha mãe jamais vai virar pó!Nunca!Alias mães morrem nunca. Mães se encantam (palavra de Drummond).
Tenho 21 anos e me sinto um pingente solto no mundo. Perdi meu pai aos 15 anos e apenas seis anos depois... Lá se vai minha mãe. Ambos findaram aos 49 anos de idade.
Sinto-me sem referencia, sem ter a quem orgulhar. Nunca fui de acreditar nesse papo de destino, mas meu caso é realmente curioso: Parece que desde sempre já estava escrito que eu iria passar pouco tempo ao lado dos dois; o mundo era povoado apenas por nós três, eu vivi intensamente para eles e eles para mim.
Quando me olho ao espelho encontro os vestígios da passagem desses dois seres humanos por este planeta e sou a única e inquestionável prova de sua junção. E a saudade bate forte demais: saudade do cheiro, do colo, das conversas banais de rotineiras, saudade da certeza...
Não fui um filho perfeito, mas fui um ‘perfeito filho’ com estes complexos sentimentos de amor e guerra, com vontade de fugir de casa, com vergonha quando me levavam ao colégio, com necessidade da proteção que só os pais põem dar.
Sinto-me extremamente abençoado por ter dito aos meus pais muitas vezes que os amava muito... Alias nem termine de ler este texto!Corra para quem você ama e diga mesmo, com voz bem alta o quão grande é o seu amor e abrace muito forte. Torne este momento eterno; sim momentos como estes ficam eternos, mas as pessoas são breves como um suspiro...
Perdão se este texto está carregado nas tintas.
À Roseli e Ladislau: Amarei eternamente...

quinta-feira, 14 de maio de 2009

Quando...


Ela estava linda com seu vestido vermelho tomara que caia fortemente marcado na cintura, cabelos soltos, descalça, sem maquiagem, sem brincos ou anéis, apenas com um cordão sem pingente. Andando pelas ruas do subúrbio onde nascera e fora criada.
Lugar de uma gente alegre (não necessariamente feliz), uma gente assim satisfeita com sua sorte celebrando seus costumes. As ruas impregnadas de calor... Calor humano, muitas risadas, alguns gritos, algumas brigas... E ela caminhava atenta a cada movimento dessa gente: Senhoras sentadas nas calçadas, crianças brincando no meio da rua, jovens acumulados nas esquinas, senhores sentados nas salas, com as portas abertas assistindo jornal na TV.
Trombou com um moreno de costas largas e ao som do samba arriscou uns passos desconcertados no começo,mas aos poucos como se uma entidade tomasse conte de suas estruturas ela parecia sem ossos.O moreno a prendeu pela cintura marcada,sentiu seu perfume...
O subúrbio dos melhores dias já não existe mais, aquela gente assim satisfeita cansou-se. No botequim meio vazio sobrevivendo ao tempo um homem já arqueado fita seu copo de cerveja, uma mulher passa de relance, o vento sopra, ele respira fundo e sorri reconhecido. Era a saudade...

sábado, 11 de abril de 2009

O Evangelho do cosmos,segundo Zé Ramalho da Paraíba


Aconteceu em minha mente um eclipse e nele um senhor e barbas longas me dizia: ”Fale com homem das profecias musicadas! Se adiante... Vá a Zé da Paraíba!”.
Por duas semanas mantive um contato de “sintonia fina mental” com o ser e eis que ao mesmo tempo em que um raio cruza os céus em tempestade se afigura de diante mim um semi-deus, um profeta...
-Meu nome é Zé Ramalho da Paraíba!13 estrelas me contaram que desejas as minhas palavras!
Imóvel diante do ser que se mantinha acima do chão uns 40 cm cai de joelhos
-Um velho de barbas longas me ordenou falar com o senhor!Semeou em minha mente tranqüila as dúvidas que perturbam os demais que habitam essas terras. Quero respostas profeta!
-O dono das barbas longas a que se refere é meu velho e Invisível Avôhai!
-Tu Zé, quem és de verdade?
- Eu sou o seu décimo - sexto pai
Sou primogênito do teu avô

-O que me dizes do futuro?Tenho necessidade em saber!
-Quando o último adeus desse milênio
Despedir-se de toda a humanidade
Descerá uma grande novidade
Entre átomos, íons e hidrogênio
Nascerá desse todo um grande gênio
Com enorme cultura diferente
Ensinando pra todos claramente
O porquê de uma causa ter efeito
Estará nosso globo desse jeito
Do terceiro milênio para frente.

-Gênio?Quem será?
- Raul Seixas e Raulzito
-Raul?Este é morto...
-Sei que não será surpresa se o futuro me trouxer o passado de volta num semblante de mulher!

-Seremos felizes?
- Não é preciso mais o melhor amigo
Nem a sombra que precisa se iluminar
Sobe muito mais o pano do seu destino
Fino, mas tão difícil de se gastar
Vamos imaginar, como fez John Lennon
Não sou o único que poderá sonhar.

-Que conceito tens do presente?
- Lá fora faz um tempo confortável
À vigilância cuida do normal.
-É profeta, mas és também humano. Quem tu amas?
- Helena, a mulher de Menelau!
-É mulher proibida. Nas sagradas escrituras diz ser pecado. Por que a quer?
-Mulher nova, bonita e carinhosa
Faz o homem gemer sem sentir dor!
-Está errado. Tu és humano pecador e não pode ser profeta!
- Cala-te boca companheiro
Vá embora, que má criação!

Neste momento chorei aos prantos!
-Quantos aqui ouvem
Os olhos eram de fé
Quantos elementos
Amam aquela mulher...

-Perdão profeta!O diabo me atiçou!

-Eu quero que você se aproxime
Do meu peito, do meu lado
E sinta o tremor que me sacode
Quando estou iluminado
É o clarão dos aviões, dos animais
Das perdidas inocências
Das primeiras confidencias
Das segundas intenções!

Neste momento todo o local se iluminou de clarão e uma espessa fumaça,ouvi gritos,sons de relógios,orações,buzinas,gemidos.A terra tremia,porém nós mantínhamos inabaláveis e abraçados!

-Eu vou te jogar
Num pano de guardar confetes...
E largou-me sobre a cama ao lado de minha mulher que dormia serena...
-Quero mais!,Dizes-me mais! Necessito...
- No mais estou indo embora!

segunda-feira, 6 de abril de 2009

Quem tem medo de travesti?

Certa vez li um pensamento que dizia: ”Aquilo existente no outro nos incomoda por estar presente em nós. Escondido”. Hoje eu não descarto essa possibilidade.
Quando aceitei o emprego de vigia noturno meu inspetor me disse que eu assistiria coisas que apenas na calada da noite se pode testemunhar.
A duas noites passadas por volta de 03h20min da madrugada minhas retinas já estafavam fatigadas do nada que tomara conta de uma grande avenida em minha cidade, mas um barulho de tamancos quebrou o silêncio. De longe pude avistar uma figura que mais parecia estar trotando do que andando. Uma figura feminina se desvendava a cada segundo. Coloquei-me a olhar para o chão; O barulho parou, um perfume doce (muito enjoativo por sinal) me invadiu e conforme erguia minha cabeça meus olhos iam desvendando cada parte de um belíssimo corpo de mulher: coxas não muito grossas, mas muito bem torneadas, uma cintura que parecia ter sido feita por encomenda e com a calça cintura baixa (baixíssima) tornava-se ainda mais desejável, seios pequenos e rijos e um... Um enorme pomo de adão!Uma “moça” branca de cabelos loiros e lisos até a altura dos cotovelos usava um lápis de olho preto e uma sombra azulada e aparentava ter no máximo 20 anos. Um travesti em pessoa na minha frente!É claro que já havia visto muitos travestis, mas nunca sozinho em uma madrugada. Minha garganta secou na hora e me lembrei de tudo o que já tinha ouvido falar sobre o suposto submundo das “travas”. Travesti, para mim, sempre habitou a boca do lixo da sociedade, lembro que certa vez quando andava com minha madrinha e uma mulher muito alta cruzou a mesma calçada em que estávamos e a minha madrinha segurou forte minha mão. Depois que a tal mulher passou ela me disse no ouvido como quem dá o melhor aviso: ”Cuidado com esse tipo de gente!Aquilo ali era homem e quando você vê um desses na rua não fica olhando!Ela corre atrás de você,gostam de fazer escândalo.Tem navalha na bolsa” .Desse dia em diante quando avistava “um desses na rua” meu olhar ia ao chão!
-Tem fogo ‘seu’ quarda?- sua voz era fanhosa e forçadamente afetada –
-Não! – respondi gaguejando e sem olhar para o seu rosto –
Por mais que tentasse eu não conseguia parar de olhar o seu corpo. Era fabuloso e de um jeito estranho o enorme pomo de Adão era o ingrediente necessário!
-É novo aqui no ponto, né?
-Sou - disse secamente –
-‘Vamu’ trepar?São cinqüenta “meréis”
Seu linguajar espantoso me vez quase cair da cadeira. Estava com um sonoro’não’ saindo pela boca quando ela disse que faria por vinte e cinco reais e maços de cigarro; confesso que a proposta me fez pensar antes de dar a resposta.
Eu disse que ‘não’, mas com um ‘sim’ entalado brigando para sair da toca. Mas não poderia aceitar. A questão do emprego na hora nem pensei; a verdade é que eu estava em uma controversa com meu (perdão pela má palavra) pinto encolhido e medroso diante de um ser cuja figura me prometia um gozo extraordinário.
-Nem um boquete você quer, porra?- essas palavras me fizeram estremecer... De medo-
A verdade é que o travesti é uma incógnita para ele mesmo e antes que você consiga decifrá-lo ele te devora. É estar no limite do prazer com a dor... A Cinderela de repente se torna um “Ricardão viril”.
Com o passar do tempo a conversa foi tomando rumos ora leves, ora pesadíssimos; com jeito espalhafatoso e suas tiradas incríveis consegui dar muitas risadas.O que estava diante de mim não era um monstro a ser temido,mas uma pessoa a ser respeitada.
Ao ir embora ela me deu um beijo no rosto que tratei de retribuir.
-Ah, tenho que voltar pra ‘Z’.
-“Z”?
-A zona, porra!
Com um andar deselegante ao extremo sua imagem foi se apagando na escuridão, mas cerca de 5 minutos depois ela voltou correndo.
-‘Seu’ guarda me “add “ no “Orkut’s”?

No caminho de volta para minha casa fui pensando: Por que essas pessoas estão condenadas a levar uma vida escrota onde vendem seus corpos por migalhas, não tem sua condição de cidadão comum respeitada?Por que afinal existe, por parte dos travestis, um conformismo irritante de ser a escoria da sociedade onde apenas na calada da noite são livres?Por que não vemos um travesti progredir na vida com trabalhos comuns do tipo ‘carteira assinada’?
A minha resposta é tão simples e complexa quanto um copo de água: Encarando-os de frente,de igual para igual,se importando realmente com as coisas que são cabíveis como caráter.
É claro que essas pessoas precisam ter postura e força de vontade para sair desse estereotipo de vida suja, mas se nós que também somos vidraça em algum ponto da vida e insistirmos em ser uma gigantesca pedra na vida alheia não tivermos no mínimo boa vontade nada mudará.

sexta-feira, 27 de março de 2009

Amado mestre!



Quando ainda fazia sentido eu ter o apelido de ‘rominho’ sempre que me perguntavam sobre o que eu queria ser quando carecesse eu logo respondia todo serelepe: ”Professor”,mas eu via uma ar de decepção que se seguia de um aviso:”Ah,mas professor ganha tão pouco”.Eu não me importava(Lógico era apenas uma criança),pois o que sempre me encantou foi o ato de ensinar;sempre tive uma admiração muito grande pelos meus professores.
Confesso que no final do ensino fundamental essa paixão estava muito fraca. O que eu assistia todos os dias eram profissionais desmotivados, sem valorização e sem o devido respeito por parte dos alunos, alias sem qualquer tipo de respeito (O que minha triste lógica sempre conclui: falta de educação vinda de casa) uma realidade em praticamente todas as instituições de ensino público no país.
Quem envolto por um cenário tão desastroso manteria viva a vontade de lecionar?
Eu mantive!Mas é claro que não consegui sozinho. No ano de 2006 no inicio do ano letivo eu vi adentrar a sala de aulas um senhor que aparentava ter seus 60 anos, com um ar sóbrio ele manteve-se de pé e com muita educação pediu silêncio; não foi atendido, mas insistiu e depois de algum tempo consegui.
-Meu nome é Ademar. Eu lecionei língua portuguesa e literatura na Marinha. Aposentei-me lá e agora quero ensinar aqui. Vocês devem estar se perguntando: ’Mas o que esse velho ta pensando da vida?”- era exatamente o que todos ali se perguntavam e inclusive eu – É que eu sou apaixonado pela minha profissão”.
Eu nunca via uma pessoa tão apaixonada e ao contrario do que pensávamos ele demonstrou sempre muita energia. Era emocionante ver a forma como ele acreditava em cada aluno.
Para nós sarais e redações tornaram-se tão necessárias quanto à hora da merenda!E ainda existia espaço para se debater política e contar piadas. Não havia ar de tédio em nenhum aluno. Incrível!Tornei-me um amigo do meu professor.
Foram dois anos de puro prazer ser ensinado por tão ilustre figura.
Infelizmente desde o fim do ensino médio eu não mantive contato com ele. Pois que saiba o professor Ademar que dentre todos ele foi o melhor, um verdadeiro mestre pungente.
Muito obrigado, professor Ademar!


Ao mestre, com carinho!

segunda-feira, 23 de março de 2009

Eu sou...


Outro dia lendo uns textos no site ‘pensador’ eu encontrei uma obra cuja autoria é de Martha Medeiros. O texto é simples, não tenta passar nenhuma complexidade, é intimista.
Para Martha nós somos exatamente tudo aquilo o que fazemos do nosso cotidiano: nossas músicas, livros, artistas, manias...
No fim ela nos propõe esse nada complicado desafio. Eu aceitei.

Eu sou Deus, mas devo confessar que sou descrença também. Eu sou uma tarde inteira com meus amigos mesmo em puro silêncio. Eu sou beijo na boca por amor, eu sou sexo por puro tesão que precisa ser extravasado.Eu sou correr atrás de pipas e papagaios com meus primos,eu sou subir no pé pra pegar manga.
Eu não sou dieta (nem a tentativa). Eu sou pizza. Eu sou mais guaraná do que refrigerante de cola. Eu não sou chocolate... Eu sou pipoca bem salgada (a doce nem pensar).
Eu sou verão quando estamos no inverno, eu sou primavera quando estamos no outono.
Eu sou livros de Clarisse Lispector, mas quando parece que não vou mais suportar o mundo eu sou gibi da ‘Turma da Mônica’.
Eu sou filme de Almodóvar sábado de madrugada. Eu sou filme de Steven Spielberg nos domingo de tarde. Eu sou blog.Eu sou fotografias...
Eu não sou axé music, mas também não sou show de João Gilberto. Sou muito mais Marisa Monte, Amy winehouse, mas também sou César Menotti e Fabiano!
Eu sou Faustão, Arnaldo Jabuor, Cássia Kiss. Eu sou novela de Agnaldo Silva. Eu sou seriados americanos, eu sou poemas de Florbela Espanca. Eu sou briga por coisas mesquinhas, mas sou muito mais fazer as pazes!
Eu sou as palavras do meu avô, eu sou o colo e os carinhos de minha mãe e principalmente eu sou saudades do meu pai.


E você?

terça-feira, 17 de março de 2009

O homem que amavam odiar

A memória mais antiga que eu tenho do Clodovil foi um ‘arquivo confidencial’ realizado pelo ‘Domingão do Faustão’ no ano 2000 ou 2001 não me lembro ao certo a data. Mas do que não me esqueço mesmo foi uma frase dita por ele que me deixou de olhos arregalados e pentelhos ouriçados: ”Sabe Faustão, ninguém nunca me viu de quatro no mato e sempre me chamaram de viado...”.
Eu estava entrando na adolescência e naquele dia aprendi uma lição: Não importa o que você seja, as pessoas vão te julgar e você precisa ter postura. Clodovil teve muito mais do que postura, teve também muita arrogância, inteligência, soberba, sensibilidade, fel na língua e doçura nas mãos. Seus “defeitos” e suas “qualidades” se misturavam e fica complicado distinguir. Impossível encontrar uma pessoa que não teve uma relação do tipo ‘tapas e beijos’ com ele; eu mesmo não concordava 90% de suas idéias, mas não conseguia deixar de prestar atenção.
Gostando ou não do seu jeito verborrágico temos que admitir que Clodovil Hernandes foi um homem genial e por isso mesmo genioso,com muito luxo e ostentação tinha no povão seus grandes fãs( Joãozinho trinta disse bem:o povo gosta mesmo é de luxo),foi um homem livre.
Eu realmente admiro o Clodovil; posso dizer que sou fã mesmo. Gosto dessas personalidades fora dos padrões. Adorava quando ele dizia: ”Por que eu vou ser uma ‘Vera verão’ se eu posso ser um Oscar Wilde?”.
Não conheci uma pessoa mais ‘gay-macho’ que o Clodovil, mas digo isso no sentido mais espontâneo. Ele era gay e pronto; não levantava bandeiras de nada. Falava na cara.
Foi no fundo poço algumas vezes, mas nunca perdeu a pose. Parecia que esse poço tinha uma mola!
Era uma incógnita sem meios termos: Um rebelde, um filho devotado.

Imagino o Clô chegando no céu(de noite porque é mais chique) com sua Louis Vuitton,seu conjunto D&G,cantarolando Elis Regina,olhando cada estrela como se cada uma fosse um diamante,observando as roupas dos anjos ele solta:”Que horror,que coisa mais démodé.Ainda bem que eu cheguei pra dar um jeito nisso!”,todos olham assustados e ele continua:”Estão olhando o quê? Eu sou talentoso mesmo e vocês sabem disso!” e solta aquela gargalhada inesquecível!

Clodovil voe alto, voe livre, voe sempre...
Eu peço uma salva de palmas, pois é isso o que todo verdadeiro artista merece e gosta muito: BRAVO! BRAVISSIMO!

quarta-feira, 11 de março de 2009

Odeie ao clichê


Clichê. É incrível a repulsa que as pessoas têm dessa palavra. Sim apenas da palavra, porque a atitude está, acredito eu, em nossos genes.

Acho a maior graça navegando pelos perfis do orkut. Todo mundo tentando ser diferente (isso é uma atitude super clichê): Existem aqueles que adoram usar frases de efeito de gente gabaritada do tipo Bob Marley, mas preferida é Clarisse Lispector que teve seu reinado ameaçado por Maysa. E é claro tem aqueles que usam a já batida frase: “Quem se define se limita”.

Estou aqui em defesa dos clichês. A vida já um clichê pronto e é pura tolice renega-los, mas renegam. É incrível.

Dia desses eu adicionei um contato no msn e fui puxar assunto com o rapaz.Papo vai,papo vem e observando suas fotos perguntei se ele era ‘emo’.O rapaz foi enfático ao dizer que sim e foi logo falando algo do tipo: “Nós...nós temos estilo e não somos iguais a todo mundo”.Besteira.Existe hoje em dia alguma coisa mais clichê que ser emo? E não podemos nos esquecer daqueles que negam ser emos( o que também é um clichê).

Nos anos 60 a moda era fugir da sociedade careta o que acabou se tornando um enorme... Clichê!

Vejamos alguns exemplos:

Elogiar os Beatles é um clichê.

Fazer piadas sobre o sofrível português do nosso presidente Lula.

Desprezar as canções que tocam no rádio e ouvir músicas de banda de rock alternativo.

Gay fã de Madonna e rbd.

Dizer pra todo mundo que você é muito social e nas baladas arrasa.

Ter pose de pessoa triste.

Dizer que já experimentou maconha e contar sobre seus porres.

Ser absolutamente contra as drogas.

Namorar

Andar

Dormir

Clichês, Clichês, clichês...

Eles são bárbaros e muitas vezes são a nossa tábua de salvação. É para eles que nós corremos quando chega ao fim um grande amor, por exemplo; é exatamente naquelas músicas melosas do tipo ‘pagode mela cueca’ que tanto criticamos onde encontramos as palavras certas que tocam nossos corações. Drummond estava certo quando disse que somos um estranho impar nesse mundo.Realmente ninguém é igual a ninguém e os clichês nos unem em comunhão.

Nascer e morrer; que coisas mais clichês... Todo mundo faz isso.

sábado, 7 de março de 2009

Mulher


Primeiramente: PARABÉNS! Mulheres do mundo!!!! E para comemorar essa data tão especial eu escolhi umas poucas,mas fortes e contraditorias frases de gente muito importante(ou não ) sobre esse eterno enigma da terra: A Mulher!

O coração da mulher, como muitos instrumentos depende de quem o toca.
(Saint Prosper)


A mulher é um efeito deslumbrante da natureza.
(Arthur Schopenhauer)


A mulher é uma substância tal, que, por mais que a estudes, sempre encontrarás nela alguma coisa totalmente nova.
(Léon Tolstoi)

Um diplomata é aquele que se lembra sempre do aniversário de uma mulher, mas nunca da sua idade.
(Robert Frost)

A mulher deve ser lentamente decifrada, como o enigma que é: encanto a encanto.
(Coelho Neto)


A prostituta só enlouquece excepcionalmente. A mulher honesta, sim, é que, devorada pelos próprios escrúpulos, está sempre no limite, na implacável fronteira.
(Nelson Rodrigues)

Mulher é mesmo interessante, mesmo brava é linda, mesmo alegre, chora, mesmo timida, comemora, mesmo apaixonada, ignora, mesmo fragil é poderosa!
*(desconhecido)


Nunca confie na mulher que diz a verdadeira idade, pois se ela diz isso... Ela é capaz de dizer qualquer coisa.
(Oscar Wilde)

A mulher ideal deve ser dama na mesa e puta na cama.
(Nelson Rodrigues)


"(...) Legal mesmo é mulher de verdade. E daí se ela tem celulite? O senso de humor compensa. Pode ter uns quilinhos a mais (geralmente eles só existem na opinião dela), mas é uma ótima companheira de bebedeira. Pode até ser meio mal-educada quando você larga a cueca no meio da sala, mas adora se divertir. Porque celulite, gordurinhas e desorganização têm solução (e, às vezes, nem chegam a ser um problema). Mas ainda não criaram um remédio pra futilidade."
(arnaldo jabor)



A história da mulher é a história da pior tirania que o mundo conheceu: a tirania do mais fraco sobre o mais forte.
(Oscar Wilde)


Nada é tão flexível como a língua da mulher, nada é tão pérfido como os seus remorsos, nada é mais terrível do que a sua maldade, nada é mais sensível do que as suas lágrimas.
(Plutarco)



"E ela não passava de uma mulher... inconstante e borboleta."
(Clarice Lispector)

segunda-feira, 2 de março de 2009

Love is... Scandalous


-O quê foi?

Marcello sem nada responder encosta sua cabeça no ombro de Rafael.

-Marcello? – diz Rafael levantando sua cabeça-

-O que estamos fazendo?

-Um simples beijo...?

Marcello bruscamente se liberta do corpo de Rafael

-Um simples beijo? Não é coisa importante? Quer dizer... Você dá um beijo na boca de outro rapaz no meio da rua e isso foi um... Simples beijo?

-Eu não vejo nada de estranho nisso!

-Ah, por favor...

-Foi um beijo. Uma demonstração de sentimento de um homem por outro homem. Simplesmente isso.

-Eu acho que você não tem consciência do que isso significa!

-Isso significa que eu...

Rafael interrompe a fala, leva as mãos à cabeça, olha para o céu. Marcello fecha os olhos.

-Isso significa que eu... Eu te amo!

Marcello abre os grandes olhos negros como uma criança que recebeu o melhor presente. Entre lagrimas e sorrisos.

-Você disse que...

-Eu te amo. Não sei como ou quando começou, mas é o sentimento mais verdadeiro que eu tenho.

Marcello segura as mãos de Rafael.

-Por que diz essas coisas?

-Usted tiene los más bellos ojos y el beso más dulce y pura

Marcello morde os lábios, revira os olhos e seu corpo estremece.

-Un beso... Por favor

-Eu também te amo Rafael!

-Eu vou ser o seu escândalo!

-Não,você já é o meu escândalo...

Beijam-se sem pudor.

O amor é escandaloso?

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

Love is...


A manhã é gélida e Marcello enfrenta o frio com seu fino uniforme, pois esqueceu seu casaco na sala de aula; Rafael não sai de mente, Marcello idolatra seu carisma, simpatia e beleza. Uma mão leve segura seu braço, Marcello fecha os olhos e reconhece a voz doce sussurrar seu nome. Era Rafael.

- Acho que este casaco te pertence.

Marcello olha fundo nos olhos de Rafael, ambos seguram o casaco como se este fosse um elo, o tempo parece parar, o vento sopra cortante, a rua está fazia... Marcello sorri levemente, mas seu corpo está imóvel e Rafael lentamente aproxima-se de seu corpo até unirem-se; Rafael segura firme na cintura de Marcello.

- Obrigado, realmente é meu este casaco... Eu nem percebi...

- E o frio?

- Gosto do frio.

As mãos de Rafael firmaram-se com mais vigor na cintura de Marcello e suas bocas inevitavelmente encaixaram-se. O beijo é seco, tímido e longo; parecem não se importar com a rua como se ela fosse uma amiga confiável, ali ficam por um minuto até Marcello virar seu rosto e ofegante olhar a ermo.



continua????

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Nunca fui eu mesma...


Sábado. 02h55min da madrugada uma mulher de altura mediana e trajando uma luxuosa roupa anda pelas ruas da capital paulista cantarolando: “(...) O mundo é dos homens, mas não seria nada sem uma mulher (...)”. Encosta-se em um poste, joga seu cigarro no chão e o pisa.

Segundos depois ela continua caminhando até encontrar um bar; o lugar é de péssima qualidade e visivelmente mal freqüentado, mas ela entra assim mesmo. Sempre olhando para o chão ela caminha passos vacilantes até encontrar uma mesa vazia. Senta-se, apóia o rosto sobre as duas mãos. Ela observa atentamente a garçonete do lugar com suas roupas minúsculas roupas e o belo corpo sempre assediado; a moça vem em sua direção e ela e a mulher então devia o olhar.

-A senhora vai querer alguma coisa?

A mulher nada respondeu.

-Senhora? Deseja alguma coisa?-insistia a garçonete mascando seus chicletes de menta-

-Um ‘Blood Mary’... Por favor. -disse com voz macia, mas vacilante.

Minutos depois a jovem volta toda rebolativa com o drink.

-Mais alguma coisa?

-Não... -diz com som quase imperceptível-

-Ok

-Moça?Por favor, sente-se aqui, eu preciso falar com você...

A garçonete com olhar espantado balança a cabeça em como quem nada estava entendendo.

-Ahmmm... Não posso, estou no meu horário de serviço...

-Você é uma mãe descontente e uma mulher dominada!-voz firme dessa vez-

A garçonete dá uma risada e olha para os lados procurando uma testemunha.

-A senhora está bem?

-Não... Eu não estou nada bem e para que você não fique como eu estou hoje é que eu tenho que te falar sobre a minha... Vida.

A garçonete estala os dedos e a mulher com um sinal a convida para sentar à sua frente. Mordendo os lábios a moça aceita o convite.

-Olha, seja muito breve... Eu não posso perder esse emprego. Por favor.

-Você tem muitos sonhos mocinha; sonha com coisas que nunca fará... Pelo menos não do jeito certo.

-Por favor, a senhora está bêbada...

-Eu vejo tanto de mim em seus olhos. Ah, moça eu estive em muitos lugares como este aqui e sonhava em ganhar o mundo. Minha beleza foi meu trunfo pra conquistar tudo e. Conquistei tudo que uma bela jovem ambiciosa quer: Fortuna, paixões... Passei boa parte da minha vida de joelhos.

A garçonete arregala os olhos verdes.

-Eu estive nos braços dos homens mais poderosos e vi algumas coisas que uma mulher nunca deveria ver. Eu sempre fui maior que eu mesma e tinha a necessidade de ser livre

A mulher bebe seu drink

-Eu estive em muitos lugares do mundo, conheci castelos, mares...

-E hoje chora?

-Eu choro pelo verdadeiro amor que abri mão e. Eu choro pelas minhas crianças não nascidas. Entreguei-me a uma prostituição que muito difícil de se libertar;todos me adoravam,mas todos mentiam sobre mim.Eu vivia no paraíso,mas nunca fui eu mesma.

-Mas a senhora experimentou o doce da vida!!

-E jamais pensei que ficaria amarga por causa disso. Eu quis tudo e hoje me resta apenas o fim que os meus caminhos tortuosos desenharam.

A garçonete segura as mãos da mulher e olha bem fundo em seus olhos

-Quem é você?

A mulher se levanta, joga uma duas notas gordas sobre a mesa, toma seu último gole.

-Eu sou uma mulher linda, loira, rica, bêbada e solitária.

-Mas a aonde a senhora vai... Eu não entendi nada!

-Apenas entenda que o paraíso não existe, é uma ilusão sobre as pessoas como nós gostaríamos que fossem... Adeus moça.


Texto baseado na canção “I’ve never been to me”